Rotaer Eletrônico

Entre em contato com o Rotor Central.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Helicópteros usados pela PM do Rio atualmente já foram alvo de tiros em seis ocasiões

Alexandre Brum/Agência O Dia

Alexandre Brum/Agência O Dia

Em um dos casos, um piloto levou um tiro de fuzil no peito, mas sobreviveu.

Criado em 2002, o Grupamento Aero-Marítimo da PM sempre contou com a habilidade de seus pilotos, a coragem de seus tripulantes e com um fator muito importante: a sorte. Além do incêndio do Fênix 03 na manhã de 17 de outubro de 2009, na Vila Olímpica do Sampaio, em frente ao Morro do São João, na zona norte do Rio de Janeiro, helicópteros do GAM já foram atingidos por tiros pelo menos em outras seis ocasiões. Em uma delas, um piloto foi atingido por um tiro de fuzil no peito, conforme contou um policial.

- Ele foi atingido por um tiro de fuzil calibre 7.62, que perfurou o helicóptero, o colete à prova de balas e atingiu o peito dele. Não morreu por sorte. Os esquilos são muito ágeis, mas são feitos de fibra. Um tiro atravessa esse material, como se fosse um tablete de manteiga.

Apesar de o GAM não confirmar a informação, o helicóptero Fênix 03 era o único dos três que unidade possui que tinha blindagem no assoalho. As outras duas em operação estão ainda menos protegidas, o que fez o GAM deixar de apoiar operação em favelas e concentrar suas ações em patrulhamento em vias especiais e em eventos de envolvam grande quantidade de pessoas, como operação verão nas praias e jogos de futebol no Maracanã.O sub-comandante Miguel Ramos revela que os helicópteros do GAM também têm sido usados em ocorrências policiais.

- Há uma semana, ajudamos a impedir uma saidinha de banco em Niterói. Como temos visão aérea, fica mais fácil localizar carros e marginais. Estamos fazendo a integração com o sistema de rádio de comunicação da PM e, sempre que surgir um fato em que seja possível prestar auxílio, vamos levantar voo. Entre as regiões mais difíceis de se fazer sobrevoos estão os ‘quartéis-generais’ de duas facções criminosas fluminenses, exatamente as mesmas que controlavam o morro dos Macacos e o São João.

Um piloto explica o motivo.- Todas as favelas onde há tráfico armado é perigosa, mas o Complexo do Alemão tem uma concentração muito grande de fuzis, assim como a Rocinha, que ainda tem um agravante: um paredão de pedra e, do outro lado, torres da rede elétrica. É muito complicado voar nesses lugares.

Fonte: http://noticias.r7.com

0 comentários:

Postar um comentário

Radar ADS-B localizado em Itajaí-Sc alcance raio de 320 Km

Radar ADS-B ModeSMixer2

METEOROLOGIA