Rotaer Eletrônico

Entre em contato com o Rotor Central.

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Petrobras reduz frota de helicópteros usados no pré-sal


Estatal não pretende renovar contratos de operação de pelo menos 30% das aeronaves envolvidas no transporte de passageiros e cargas para exploração e prospecção de petróleo



As crises enfrentadas pela Petrobras levaram a estatal brasileira a tomar uma decisão drástica. A empresa não vai renovar os contratos de operação de maior parte dos helicópteros de grande porte utilizados no transporte de passageiros e carga para suas plataformas de petróleo e campos de prospecção no pré-sal. O cancelamento da renovação dos contratos - com vencimentos a partir de janeiro de 2016 - atinge todos os táxis-aéreos que cumprem missões offshore para a Petrobras.
Procurada pela reportagem de AERO Magazine, a empresa afirmou em contato telefônico que não comentará quaisquer processos de renovação contratual, mas interlocutores do setor informam que a maior parte dos táxis-aéreos já emitiu notas internas informando a situação atual. Ainda segundo interlocutores de mercado, a frota de cerca de 110 helicópteros da Petrobras deve cair para 70 a 80 aeronaves. 
A decisão da Petrabras se deve a uma conjunção de fatores. Já na principal feira de helicópteros do mundo, a Heli-Expo, realizada no início do ano nos Estados Unidos, falava-se da tendência de estagnação do crescimento da frota de helicópteros de grande porte. O que se ouvia era que, com a queda acentuada do preço do petróleo, a prospecção no pré-sal perderia boa parte de sua rentabilidade, já que os custos de exploração em águas profundas são significativamente mais altos.

Paralelamente, com a reestruturação do plano de investimentos da companhia após a eclosão do escândalo da Operação Lava Jato da Polícia Federal, o abandono dos planos de expansão da frota da Petrobras já era dado como certo.

Este novo plano de racionamento de uso de aeronaves afeta não só os helicópteros usados na prospecção do pré-sal como, também, a frota destina às missões offshore de exploração das plataformas em atividade. Com a medida, acredita-se que helicópteros menores cumpram eventualmente distâncias maiores fazendo escalas em plataformas, ainda que muito poucas plataformas permitam reabastecimento. Os modelos usados para voar a grandes distâncias são Sikorsky S-92, Airbus EC225 e AgustaWestland AW139.  
O mercado de óleo e gás no Brasil chegou a ser considerado o mais promissor nos últimos anos em virtude do avanço na exploração do pré-sal, ainda que analistas considerassem a expansão da Petrobras arriscada diante dos elevados custos envolvidos na extração do petróleo nas bacias  em águas mais profundas. Apesar dos alertas, os principais fabricantes de helicópteros e operadores offshore viam com otimismo a abertura dos novos poços, que colocariam o Brasil entre os maiores usuários de helicópteros de grande porte nesse tipo de missão.


Fonte: http://aeromagazine.uol.com.br/artigo/petrobras-nao-renovara-contratos-com-taxi-aereos_2433.html#ixzz3tlTttMFA

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE SEGURANÇA DE VOO FOCA NO APRENDIZADO COM ACIDENTES JÁ OCORRIDOS

9º Seminário Internacional ABRAPHE reúne autoridades aeronáuticas, pilotos e fabricantes dias 01 e 02 de dezembro no Anhembi

A prevenção de acidentes do ponto de vista dos avanços tecnológicos na aviação por helicóptero e os aprendizados com as investigações aeronáuticas em torno dos acidentes e incidentes com helicópteros ocorridos no Brasil e no mundo são o tema central do 9º Seminário Internacional sobre Segurança de Voo, promovido pela ABRAPHE – Associação Brasileira dos Pilotos de Helicóptero, nos dias 01 (terça-feira) e 02 (quarta-feira) de dezembroa partir das 14 horas, no Auditório Elis Regina, no Anhembi, zona norte de São Paulo.

O objetivo desta 9ª edição, que coincide com os 20 anos da entidade,  é reunir o ponto de vista do piloto, do fabricante e o aporte das normas e doutrinas de segurança por parte das autoridades aeronáuticas para analisar em profundidade o que há de disponível em termos de estudo e resultado das ocorrências já registradas,  rumo a iniciativas e decisões assertivas na prevenção de acidentes com asa rotativa no País.

Tradicional no calendário de pilotos, alunos, profissionais e empresários da área por promover a troca de experiência com outros países onde estão estabelecidas as normas internacionais de segurança e as maiores frotas de helicóptero do mundo, a exemplo de São Paulo, a iniciativa vem ao encontro das ações da ABRAPHE em parceria com o IHST (International Helicopter Safety Team - entidade internacional voltada à segurança de voo por helicóptero) para a continuidade na redução de acidentes com helicóptero no País.

Levantamento preliminar realizado pelo CENIPA – Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos, divulgado em março deste ano, confirma mais um ano de redução no número de acidentes com helicóptero, acompanhando o declínio apontado desde 2012. Em 2014, foram 20 acidentes registrados ante, 24 (2013) e 28 (2012).

O 9º Seminário Internacional sobre Segurança de Voo ABRAPHE  tem o patrocínio da AgustaWestland, Bell Helicopter, Helibras e Lider Aviação. E apoio do Helicidade, Helipark e JSSI.

Programação Completa:
Dia 1º /12 (terça-feira)
14:15 -  Abertura oficial ABRAPHE
14:30 - O Mercado de Trabalho nas diferentes áreas de atuação e as doutrinas de segurança para a prevenção de acidentes
Palestrante: Jorge Luiz França Alves - QHSSE Manager da Líder Aviação
15:15 - Regulamentações e afins: IFRH, RBAC6 1, Classe, Cheques e afins
Palestrante: ANAC - Wagner William de Souza Morais, Superintendente de Padrões Operacionais (SPO)
15:50 - Coffee
16:00 - Fatores Humanos x as Novas Tecnologias – a responsabilidade no comando e os critérios para o uso da tecnologia no sentido de resultados positivos para a operação
Palestrante: Capt. Harry Vergis – Instrutor de voo na Bell Helicopter Textron, Chicago
16:45 - A Nova Circulação Visual em SP e RJ, as comunicações entre helicópteros, ruído e uso das REA e REH pelos helicópteros.
Palestrante: SRPV - Cel. Jarbas, Chefe do Serviço Regional de Proteção ao Voo
17:30 - Debate entre os participantes
18:00 - Encerramento

DIA 2/12 (quarta-feira)
14:00 -            Credenciamento e abertura dos trabalhos
14:15 -            Investigação Aeronáutica – os procedimentos e a importância para a Prevenção (a experiência e os aprendizados com as investigações já realizadas)
Palestrante: SERIPA IV - Ten.Cel.Sidnei Velloso da Silva Junior, Chefe do Quarto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes
14:50 -            Recomendações de Investigações e Melhorias de Projeto
Palestrante: Antonio Modesto – Gerente de Segurança Operacional na Helibras / Airbus Helicopters e IHST
15:35 -            Coffee
16:00 -            Inovação Tecnológica e Prevenção
Palestrante:  Roger Woods /AgustaWestland
16:45 -            Helicóptero sob IMC – Inadvertido ou não, voe seguro
Palestrante:  Nilton Cícero Alves – diretor de Ensino na EFAI
17:30 -            Abertura para debate entre os participantes
18:00 -            Abertura coquetel em comemoração dos 20 anos no foyer do auditório
Coquetel de Encerramento - confraternização e celebração dos 20 anos da ABRAPHE

9º SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE SEGURANÇA DE VOO ABRAPHE
Dias 01/12 (terça-feira) e 02/12 (quarta-feira) - das 14 às 18 horas
Local: Auditório Elis Regina – Anhembi
Acesso pela avenida Olavo Fontoura – Santana – Zona Norte – São Paulo (Estacionamento no local)
Investimento: Associados da Abraphe – gratuito.
Não associados da Abraphe: R$ 280,00 os dois dias
Mais informações em  http://www.abraphe.org.br/9seminario


Sobre a Abraphe
Entidade sem fins lucrativos, a Associação Brasileira dos Pilotos de Helicóptero representa mais de dois mil pilotos de helicóptero em todo o território nacional, atuando em iniciativas que contribuam com o aperfeiçoamento dos profissionais e a segurança de voo. Entre as prioridades da ABRAPHE está fomentar o intercâmbio técnico e cultural com outras entidades de classe nacionais ou estrangeiras, que congreguem aviadores, visando promover o aperfeiçoamento profissional, técnico e sócio cultural dos seus associados, promovendo ações para elevar o grau de profissionalismo dos mesmos por meio de congressos, seminários, cursos, debates, reuniões e atividades técnicas. Fundada em 1995 como Associação dos Pilotos de Helicóptero do Estado de São Paulo (Aphesp), a ABRAPHE conta com sub sedes em Belo Horizonte (MG) e no Rio de Janeiro (RJ).

INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA:                    CD Comunica – Content Marketing e Imprensa
(11) 2816 0966

Carolina Denardi – (11) 99969 6761 carolina.denardi@cdcomunica.com.br

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Helicóptero usado pelo Grupamento Aéreo da Polícia Militar cai em Maceió

Quatro militares que estavam a bordo morreram, segundo a PM.
Aeronave caiu sobre um carro estacionado na rua e explodiu.



Um helicóptero usado pelo Grupamento Aéreo da Polícia Militar caiu no bairro da Santa Lúcia, parte alta de Maceió. De acordo com as informações oficiais repassadas pela PM, a aeronave explodiu ao cair no solo. Quatro pessoas que estavam a bordo morreram.

Vídeos gravados por testemunhas que mostram os destroços da aeronave em chamas foram encaminhados ao AL TV 1ª edição. Nas imagens, é possível ver bastante fumaça e fogo, momentos depois da explosão (veja acima).

As vítimas foram identificadas como capitão Assunção e os soldados Diogo Melo e De Moura, do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), e major Milton Carnaúba, do Corpo de Bombeiros.
O acidente aconteceu próximo ao Aeroclube de Maceió. Ainda segundo informações da PM, a aeronave caiu sobre um veículo que estava estacionado na rua, mas não feriu ninguém no solo. O Corpo de Bombeiros foi acionado ao local e encaminhou diversas viaturas de resgate e de combate a incêndio.
Aeronave explodiu ao cair sobre um carro (Foto: Carolina Sanches/G1)Aeronave explodiu ao cair sobre um carro
(Foto: Carolina Sanches/G1)
As residências no entorno do local onde aconteceu o acidente foram isoladas, devido ao risco. O governador Renan Filho (PMDB) e o secretário de estado da Segurança Pública, titular da pasta responsável pela aeronave, foram ao local.
"Tinham dois pilotos experientes [a bordo], dois tripulantes, todos militares. Estamos muito surpresos com o que aconteceu, mas vamos aguardar as investigações para determinar o que verdadeiramente aconteceu", afirmou o governador ao ressaltar que o Estado vai prestar total apoio às famílias das vítimas.
O coronel André, do setor de Operações Aéreas do Corpo de Bombeiros, afirmou que a aeronave, Falcão 02, estava em perfeitas condições e não tinha histórico de mau funcionamento. "Decolou do aeroporto e foi simplesmente fazer um patrulhamento. Dizer o que realmente aconteceu é muito preliminar", avaliou.
Acidente no bairro Santa Lúcia
Ainda de acordo com o coronel, a aeronave era de 1992, mas estava em perfeitas condições. "O que importa são as condições da aeronave e as substituições das peças". Ele disse também que a perícia do acidente ficará a cargo da Aeronáutica.
A prefeitura de Maceió decretou luto oficial de três dias e designou o coordenador da Defesa Civil Municipal, Dinário Lemos, para ajudar nas demandas do governo acerca das investigações do acidente.
Também por causa do acidente, a Polícia Militar cancelou a programação referente ao 14º aniversário da Radiopatrulha, o programa Vem Ver a Banda Tocar, nas apresentações da próxima sexta-feira, 25, no Corredor Vera Arruda e no domingo, 27, na orla da Ponta Verde, além da participa
ção da banda de música nos eventos externos até o dia 27.
Peritos fazem os primeiros levantamento no local (Foto: Jonathan Lins/G1)Peritos fazem os primeiros levantamento no local (Foto: Jonathan Lins/G1)
Militar lamenta cena encontrada no local do acidente (Foto: Carolina Sanches/G1)Militar lamenta cena encontrada no local do acidente (Foto: Carolina Sanches/G1)Fonte:http://g1.globo.com/al/alagoas

terça-feira, 9 de junho de 2015

SERIPA IV FALA SOBRE INVESTIGAÇÕES AERONÁUTICAS NA QUARTA (10/06)

A ABRAPHE – Associação Brasileira de Pilotos de Helicóptero, dentro dos encontros mensais realizados no Ciclo de Palestras ABRAPHE, recebe na próxima quarta-feira (10/06), a partir das 19 horas, no Auditório da Infraero (Aeroporto Campo de Marte – Av. Santos Dumont, 1979, Santana), o Chefe do Seripa IV, Tenente Coronel Sidnei Velloso da Silva Junior, para abordar o tema Investigações Aeronáuticas – Conhecendo os Procedimentos e Desmistificando Conceitos Equivocados.


O objetivo do encontro é aprofundar junto aos pilotos de helicóptero os conhecimentos sobre o passo a passo de uma investigação aeronáutica, os procedimentos adequados e a importância de cada um dos agentes para os trabalhos do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes, órgão subordinado ao CENIPA – Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes.

Estarão entre os pontos abordados, o estudo de casos já ocorridos e o esclarecimento de abordagens importantes ao longo de uma investigação para contribuir com resultados conclusivos, que possam nortear ações futuras preventivas.

No Brasil, o número de acidentes com helicópteros vem caindo desde 2012, segundo levantamento preliminar realizado pelo CENIPA e divulgado em março deste ano. Em 2014, foram 20 acidentes registrados ante, 24 (2013) e 28 (2012). Ainda pelo mesmo estudo, houve redução de 12% no número de acidentes aeronáuticos incluindo todos os tipos de aeronave. O CENIPA registrou também, queda nos últimos três anos do número de fatalidades (mortes).  O estudo completo e final ainda deve ser divulgado junto à seção Estatística do site oficial do CENIPA, mas a prévia já está disponível em http://www.cenipa.aer.mil.br/cenipa/index.php/component/content/article/1-comunicacao-social/1385-taxa-de-acidentes-aeronauticos-reduziu-12-em-2014.

A ABRAPHE, que tem como princípio a prevenção de acidentes e a segurança de voo e dos pilotos defende a eficiência da asa rotativa no desenvolvimento social e econômico do País e reforça a responsabilidade necessária na formação e atuação dos pilotos licenciados em atividade no espaço aéreo nacional. Estão entre as iniciativas da entidade, ações que contribuam com o aperfeiçoamento dos profissionais e a segurança de voo, entre eles, a promoção de encontros, tais como o Ciclo de Palestras ABRAPHE e o Seminário Internacional sobre Segurança de Voo, que permitem a troca de experiência entre pilotos e o aprendizado e reforço das regras e normas voltadas à prevenção de acidentes. Atualmente, são 3.365 pilotos de helicóptero em operação no território nacional, uma frota de 2.131 helicópteros (734 só no Estado de São Paulo) e média anual crescente superior a 300 licenças emitidas para Piloto Comercial de Helicóptero (PCH) nos últimos três anos.

Informações à Imprensa e Confirmação de Presença -  Carolina Denardi (carolina.denardi@cdcomunica.com.br)/ (11) 9.99696761.


 

quarta-feira, 25 de março de 2015

Novo H145 chega ao Brasil para turnê de demonstração

Helicóptero chega em São Paulo e deverá passar por  quatro outras cidades para apresentação

Copyright Jay Miller – 2014
                                     O helicóptero H145 chegou ao Brasil para uma turnê de demonstração aos clientes nacionais. Com roteiro iniciado por São Paulo hoje, (19), a aeronave multimissão será apresentada para o mercado civil, governamental, militar e offshore também nas cidades de Curitiba, Brasília, Belo Horizonte e Rio de Janeiro.
O H145 – novo nome do EC145 T2 – foi atualizado para melhorar o desempenho em condições extremas de altitude e temperatura, aumentar sua capacidade de voo, apresentar níveis de ruído mais baixos, reduzir a carga de trabalho do piloto e aumentar a segurança operacional.
Na parte externa, o rotor de cauda carenado com Fenestron® foi o grande diferencial, tornando o helicóptero o mais silencioso de sua categoria, com nível de ruído muito abaixo das exigências da Organização Internacional de Aviação Civil (ICAO).
A evolução do modelo seguiu o novo lema da Airbus Helicopters e da Helibras que priorizam a satisfação do cliente e a segurança de voo em seus produtos e serviços. O H145 traz uma Interface homem/máquina otimizada com novo pacote de aviônicos intuitivos (Helionix™), piloto automático que reduz a carga de trabalho da tripulação e sistema elétrico de última geração. A caixa de transmissão principal modernizada e os novos motores Turbomeca Arriel 2 E, aliados ao Fenestron ®, oferecem melhor desempenho e mais segurança.

Combinando o já comprovado desempenho da família EC145 com o compromisso da Airbus Helicopters em desenvolver produtos de excelência, o H145 é um potente, confortável, moderno e versátil helicóptero multimissão que traz uma ampla gama de opcionais para a melhor performance em qualquer operação. Esse modelo está sendo muito bem recebido por todos os mercados, o que deve acontecer também no Brasil, pois a aeronave está capacitada para atender as necessidades dos clientes que operam em regiões de alta temperatura.
Diferenciais do modelo:

As amplas portas laterais corrediças e as portas em concha na parte traseira facilitam o embarque de cargas e pacientes, o que torna o modelo um dos mais adequados para serviços aeromédicos, missões policiais e de busca e resgate, entre outros. A aeronave também está capacitada para missões noturnas, com o uso do sistema de óculos de visão noturna (NVG).
As portas e a espaçosa cabine também merecem destaque em sua utilização pelo mercado offshore, para o qual a aeronave tem capacidade e potência superior. Essas e outras vantagens são encontradas ainda na versão militar do novo helicóptero, renomeada como H145M, tornando-se a mais nova opção de alta tecnologia em helicópteros biturbinas leves para o mercado de defesa.
“Com 13 helicópteros da família  EC145 operando no Brasil, nos mercados civil e governamental, a Helibras oferece suporte completo para responder às  necessidades dos operadores no apoio logístico e manutenção da frota no país” informa François Arnaud, vice-presidente Comercial e Marketing da Helibras. “Além disso, a empresa oferecerá treinamento para pilotos e técnicos do modelo, com aulas teóricas, práticas e em simulador, que poderão ser realizadas na Airbus Helicopters”, explica.
Atendendo às premissas de satisfação do cliente e de ampliação da disponibilidade das aeronaves, o H145 possibilita aos operadores a realização de reparos de manutenção contínua sem a necessidade de interrupção nas atividades para inspeções de longo período.
A primeira unidade do H145 foi entregue pela Airbus Helicopters, no segundo semestre do ano passado, à DRF Luftrettung, empresa alemã de resgate aeromédico. De lá para cá, cerca de 20 clientes em todo o mundo receberam a aeronave. Até o momento, a Airbus Helicopters já assinou cerca de 140 contratos de vendas e opções de compra, além de 15 na versão militar (H145M) para o Exército Alemão e cinco para a Royal Thai Navy, a marinha da Tailândia.
Ficha técnica – H145
Capacidade
1 piloto + 10 passageiros ou 1.500 kg de carga no gancho
Ou 2 pilotos+ 8/9 passageiros
Pesos
Peso máx. de decolagem: 3.650 Kg
Peso máx. de decolagem com carga externa: 3.650 Kg
Peso vazio: 1.919 kg
Motorização
2 turbinas – TURBOMECA ARRIEL 2E
Potência máx. de decolagem por motor: 894 shp
Desempenho (com peso máximo de decolagem)
Velocidade máxima (VNE): 268 km/h – 145 kts
Velocidade de cruzeiro rápido: 248 km/h – 134 kts
Razão de subida: 9,3 m/s
Teto de serviço: 5,165m
Autonomia com tanque standard: 3h37
Alcance máximo com tanque standard: 663 km
Dimensões
Comprimento (com rotor girando): 13,63m
Comprimento da fuselagem: 11,69m
Altura: 4m
Diâmetro do rotor principal: 11m

Programa da Campanha de Demonstração 
DataLocalidade
18 a 24 MarçoSão Paulo
25 a 27 MarçoCuritiba
30 e 31 MarçoBrasilia
  1 e 2   AbrilBelo Horizonte
  6 e 7   AbrilRio de Janeiro
  8 e 9   AbrilSão Pedro d’Aldeia
10 a 17 Abril

Fonte: http://www.helibras.com.br/
Rio de Janeiro

segunda-feira, 9 de março de 2015

Pela primeira vez uma mulher comanda helicóptero de ataque da FAB

Aos 23 anos, a Tenente Vitória conduz uma máquina de guerra capaz de disparar mísseis e foguetes


A Tenente Aviadora Vitória Bernal Cavalcanti entrou para a história da aviação brasileira ao se tornar a primeira mulher do País a alçar voo no comando de um helicóptero de ataque. Na última sexta-feira (06/03), ela realizou a sua primeira instrução no cockpit da aeronave AH-2 Sabre, com sede na Base Aérea de Porto Velho.
“É uma grande honra e responsabilidade ser a primeira mulher a pilotar um helicóptero de ataque da Força Aérea Brasileira. Espero que isso sirva de inspiração para todas as mulheres, mostrando que, por meio do esforço e da dedicação, nós podemos alcançar qualquer objetivo”, ressaltou.
Formada pela Academia da Força Aérea (AFA) em 2013, a Tenente Vitória,hoje aos 23 anos, é natural de São Paulo (SP). Ela é a primeira aviadora do Esquadrão Poti, equipado com os helicópteros de ataque AH-2. A aeronave, armada com um canhão de 23mm e capaz de lançar mísseis e foguetes, é blindada e pesa 12 toneladas.
  "Ainda terei muitos estudos e treinamentos pela frente para cumprir todas as ações da FAB atribuídas ao Esquadrão Poti, que são defesa aérea, ataque, escolta, supressão de defesa aérea inimiga, varredura e apoio aéreo aproximado”, destacou.
 Após voar aviões T-25 e T-27 na AFA, a Tenente Vitória passou um ano em Natal (RN), no comando de helicópteros H-50 Esquilo. Transferida em 2015 para Porto Velho, seu primeiro desafio foi o curso teórico da aeronave AH-2 Sabre. Agora, ela treina para atuar como POSA (Piloto Operador de Sistemas de Armas), responsável por acionar o armamento do AH-2.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Pilotos de Helicóptero sem licenças a partir de sábado (28)

ABRAPHE ALERTA PARA CRISE  COM LICENÇA DOS PILOTOS DE HELICÓPTERO

Mais de 300 pilotos de helicóptero poderão perder o direito de operar regularmente por não contar com suporte da ANAC para a revalidação de suas licenças

A ABRAPHE – Associação Brasileira de Pilotos de Helicóptero, entidade representativa de mais da metade dos pilotos de helicóptero em operação no País, chama a atenção da sociedade e das autoridades aeronáuticas para o problema na falta de estrutura para a revalidação das licenças dos pilotos de helicóptero no Brasil.

Estima-se que mais de 300 pilotos de helicóptero percam o direito de operar regularmente nos próximos meses, sendo cerca de 100 deles já a partir do próximo sábado (28/02), devido a falta de profissionais capacitados para a execução do cheque de revalidação. Cheque é o procedimento prático de avaliação do piloto, que tem seus conhecimentos no comando da aeronave analisados em operação aérea na companhia de um agente credenciado pela ANAC – Agência Nacional da Aviação Civil, chamado de checador.

Todo piloto de helicóptero passa anualmente pelo procedimento de revalidação da licença, o que inclui exame médico e prova prática (cheque). Atualmente, o tempo de espera para a realização do cheque é de até seis (06) meses.

Desde outubro de 2014, a ABRAPHE vem alertando a Superintendência da ANAC para o problema, considerando o acúmulo de processos abertos e as reclamações de seus associados. Duas prorrogações foram acatadas pela ANAC desde então, mas o que a ABRAPHE sugere é que haja uma ação paralela às prorrogações, um mutirão de cheques em todo País para suprir a demanda represada. O último ofício enviado neste sentido à Superintendência de Padrões Operacionais da ANAC foi na terça-feira (24/02).

“Apenas a prorrogação do prazo não resolve o problema, ao contrário, aumenta a demanda represada. É necessário desafogar o número de processos já abertos. Sem agenda e o oficial que faça nossa avaliação (cheque) isso se torna impossível. Nós pilotos queremos operar regulares. Muitos podem perder o emprego sem a revalidação”, explica o presidente da entidade cmte Jorge Faria. 

Outra alternativa apresentada pela ABRAPHE para contribuir na solução do problema foi a liberação dos cheques por checadores autônomos autorizados pela Agência, mas segundo a ANAC, esta ação ainda corre em análise devendo contar com um parecer só no segundo semestre deste ano. O presidente da ABRAPHE ressalta que em todos os ofícios encaminhados, a ABRAPHE se colocou à disposição para receber e apoiar outra alternativa que viesse ser apresentada pela Agência para contribuir na solução do problema, mas a ANAC se mostrou intransigente.

Dados do Setor:
Pilotos de Helicóptero em operação = +3000
Frota Nacional = 2.131 helicópteros (734 só no Estado de São Paulo)* (Fonte ANAC – até junho 2014).
Frota na cidade de São Paulo = 411 aeronaves registradas e em torno de 2000 pousos e decolagens/dia. Maior frota de helicópteros do mundo

Segurança de Voo
Último levantamento divulgado pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos - CENIPA aponta queda no número de acidentes com helicóptero no país nos últimos três anos. O estudo completo está disponível em
Até 2016, a meta do IHST (International Helicopter Safety Team), entidade internacional voltada a segurança de voo por helicóptero, é reduzir em 80% o número de acidentes com helicópteros no País.


INFORMAÇÕES À IMPRENSA -  CD COMUNICA
Carolina Denardi
carolina.denardi@cdcomunica.com.br
(11) 99969 6761 – 2816 0966

Radar ADS-B localizado em Itajaí-Sc alcance raio de 320 Km

Radar ADS-B ModeSMixer2

METEOROLOGIA