Rotaer Eletrônico

Entre em contato com o Rotor Central.

quarta-feira, 27 de março de 2013

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PILOTOS DE HELICÓPTERO (ABRAPHE)

VITÓRIA DA AVIAÇÃO POR HELICÓPTERO

A Câmara de Vereadores de São Paulo aprovou o Projeto de Lei nº 361/2011, que altera a lei que estabelece as regras para o funcionamento de helipontos, heliportos e aeródromos em São Paulo, vigente desde 2009. Pelo substitutivo, fica reduzido a 200 metros a distância mínima entre os locais de pouso, assim como de escolas e hospitais. Desde a aprovação da Lei, em 2009, mais de 30% dos helipontos em operação na capital foram fechados na cidade de São Paulo, baixando de 272 para 193 o número de plataformas de pouso e decolagem de helicópteros em funcionamento até final de 2012.

Para a Associação Brasileira dos Pilotos de Helicóptero (Abraphe), que desde 2009 vem atuando junto à Prefeitura e à Câmara dos Vereadores de São Paulo fornecendo informações técnicas e dados sobre a rotina das operações por helicóptero na capital, bem como as dificuldades e entraves enfrentados desde que a antiga lei em vigência até então passou a vigorar, trata-se de uma grande conquista para a aviação por helicóptero do País, já que São Paulo detém hoje a maior frota de helicópteros em operação do Brasil e está entre as cidades com maior número de operações do mundo. “Estamos há mais de três anos trabalhando no suporte e disponibilização de informações e buscando junto à Prefeitura um consenso que contemple a necessidade de regulamentação do setor sem prejudicar a rotina das operações por helicóptero na cidade e sem frear o desenvolvimento latente e necessário do nosso município. Estamos otimistas quanto à sanção pelo prefeito Haddad e continuamos à disposição dos órgãos públicos, reguladores e governamentais para contribuir no que for necessário para a segurança dos nossos pilotos e o desenvolvimento seguro do setor ”, destaca o presidente da Abraphe, cmte Rodrigo Duarte.

Para Duarte, piloto há mais de 10 anos, com vasta experiência na aviação executiva, neste momento de pleno aquecimento econômico vivenciado pelo País e a proximidade de eventos de grande proporção tais como a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016 é de suma importância que a aviação por helicóptero e a capacitação dos pilotos de helicóptero brasileiros estejam na pauta das prioridades como alternativa de transporte seguro e eficiente, haja vistas as características e agilidade das aeronaves de asa rotativa e a alta tecnologia empregada neste setor.

INFORMAÇÕES À IMPRENSA –     Carolina Denardi

                                                       CD comunicação e imprensa
                                                       11 2816 0966 - 9 9969 6761

http://www.abraphe.org.br/

domingo, 3 de março de 2013

Eurocopter EC155 B1 - Dauphin

O EC155 B1 é o helicóptero bi turbina médio mais avançado da categoria, incorporando o rotor principal Spheriflex, da Eurocopter, e rotor de cauda Fenestron. Projetado para realizar várias missões, o EC155 B1 pode ser configurado para transporte entre plataformas offshore, transporte médico, operações policiais e de busca e salvamento além de transporte corporativo e executivo. À primeira vista ele é um magnífico Dauphin. Mas o EC155 B1 não é um Dauphin comum mas um melhorado, mais espaçoso, mais potente e mais moderno.

 Na família Dauphin existem dois modelos: AS365 N3+ e EC155 B1. As diferenças não são muitas, mas são consideráveis. O EC155 B1 tem um rotor principal com 5 pás ao invés de 4 do AS365 N3+. Além disso, o EC155 B1 é mais potente, contando com duas turbinas Turbomeca Arriel 2C2, com takeoff power de 935 shp em cada uma e com a segurança e facilidade de manutenção reforçada pelo uso do FADEC (Full Authority Digital Engine Control). Este sistema controla o desempenho do motor para os pilotos, a fim de que nenhum dano seja provocado por excesso de velocidade ou descuidos em parâmetros importantes. Com isso, reduz-se muito o trabalho dos pilotos e o desgaste dos motores. Os motores têm menos inspeções obrigatórias regulares do que os outros similares, e geralmente são muito mais confiáveis. Outra característica relevante no EC155 B1 é seu rotor de cauda Fenestron, patenteado pela Eurocopter.

O conjunto de dez lâminas do rotor traseiro Fenestron está disposto assimetricamente, ou seja, as lâminas são espaçadas em intervalos diferentes, o que reduz substancialmente o barulho da aeronave. Nos helicópteros convencionais, grande parte do som produzido é dos rotores de cauda, mas, com o rotor Fenestron, a principal fonte de ruído fica por conta do escape do motor e do atrito das lâminas do rotor principal com o ar. Para o embarque na aeronave, o EC155 B1 pode ser configurado com estribos laterais fixos, tanto para os pilotos quanto para os passageiros ou pode ser equipado com uma escada elétrica com 2 degraus, que fica embutida abaixo das portas laterais. Internamente, o EC155 B1 tem 40% mais espaço do que o Dauphin AS365 N3+. Na configuração de transporte offshore pode levar 2 pilotos mais 12 passageiros. Já na configuração de transporte VIP, a mais comum é a configuração 2 pilotos mais 5 passageiros, com um confortável banco para 3 ocupantes, no qual, o assento do meio, se não for utilizado, transforma-se em um grande console para apoio dos braços. O outro lado conta com mais 2 grandes assentos individuais com console central com geladeira, porta copos e porta livros. Além disso, uma grande variedade de revestimentos está à disposição dos proprietários para a configuração ideal da aeronave.

 No cockpit, a tripulação gerencia equipamentos de última geração, criteriosamente projetados, além de contar com piloto automático de 4 eixos e 4 displays de LCD, como os que equipam os jatos executivos e comerciais atuais. Tanto para o uso corporativo quanto para o uso particular, o EC155 B1 traz um novo significado para a aviação executiva. A Eurocopter sabe que a maior parte das despesas para o proprietário ocorre durante o tempo operacional da máquina. Por esta razão, confiabilidade, manutenção e suporte são os pontos principais no projeto de todas as aeronaves da Eurocopter. O EC155 B1 foi projetado para facilitar a manutenção, possuindo uma variedade de peças intercambiáveis, o que facilita a manutenção e diminui o tempo parado.

Os componentes principais como motores, rotor principal e o câmbio principal são de fácil acesso e não requerem a remoção de outros equipamentos da aeronave para serem substituídos. Com mais de 100 aeronaves em operação ao redor do mundo desde sua criação, o EC155 B1 estabeleceu parâmetros inigualáveis tanto no conforto dos passageiros como na ergonomia do cockpit, na velocidade de cruzeiro e na facilidade de manutenção. Esses dados têm sido comprovados pelos registros de segurança e confiabilidade apontados como os principais pontos para a satisfação dos clientes. Peso máximo de decolagem: 4.920 kg Velocidade máxima (VNE) com 4.850 kg: 324 km/h Autonomia: 802 km Preço: US$ 10 milhões (sem impostos e frete) Conheça os detalhes do EC155 B1 da Eurocopter no site: www.eurocopterusa.com


Radar ADS-B ModeSMixer2

METEOROLOGIA