Rotaer Eletrônico

Entre em contato com o Rotor Central.

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Helicóptero cai no Morro da Urca, ao lado do Pão de Açúcar, no Rio

Aeronave levava passageiros e caiu ao lado de heliponto.
Testemunhas dizem que rajada de vento arrastou o aparelho.

Aerovave caiu ao lado do heliponto no Morro da Urca (Foto: Reprodução/TV Globo)

Um helicóptero caiu em área de difícil acesso do Morro da Urca, na Zona Sul do Rio, por volta das 13h30 desta quarta-feira (8). Na aeronave estavam o piloto e cinco turistas, sendo um casal de mineiros que mora em Belém, um jovem do Rio e dois estrangeiros que moram nos Estados Unidos. De acordo com os bombeiros, ninguém ficou ferido, mas testemunhas disseram ter visto ferimentos leves na mão do piloto e um dos passageiros registrou queixa de lesão corporal na 10ª DP (Botafogo).

Morro da Urca - localização - vale este (Foto: Editoria de Arte/G1)

"Aparentemente não houve problema com a aeronave. Segundo o piloto, ele tentou desviar da pista por conta de uma rajada de vento e jogou o helicóptero para a floresta. Em princípio, um dos passageiros se feriu levemente e o piloto pode responder por lesão corporal. Perícia ainda está sendo feita”, disse João Ismar, delegado assistente da 10ª DP.

Segundo a assessoria de imprensa da Companhia Caminho Aéreo Pão de Açúcar, que cuida do Bondinho, a aeronave não caiu, fez apenas um pouso forçado, ao lado do heliponto.

Equipes do Corpo de Bombeiros do Quartel de Humaitá informaram que quando chegaram ao Morro da Urca os passageiros já tinham deixado a mata e apenas o piloto permanecia no local. Peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) chegaram por volta das 15h30 para realizar a perícia.

A assessoria da Companhia Caminho Aéreo Pão de Açúcar, que administra o ponto turístico, informou que uma rajada de vento arrastou a aeronave no momento do pouso. Segundo o Radar RJ, da TV Globo, a velocidade dos ventos chegou a 44 km/h na horário.

Casal que estava no helicóptero (Foto: Isabela Marinho/G1)Casal que estava no helicóptero deixa delegacia
em Botafogo (Foto: Isabela Marinho/G1)

Uma equipe do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes (Seripa), órgão vinculado à Aeronáutica, estava a caminho do heliponto do Pão de Açúcar, por volta das 14h30, para apurar as causas do acidente.

Segundo a polícia, os três passageiros brasileiros foram levados para a 10ª DP (Botafogo), onde foi realizado um registro de lesão corporal culposa por Antonio Souza Moreira, pai de um dos passageiros, Álvaro Felipe, que completou 22 anos e havia pedido o voo como presente de aniversário. Segundo o pai, o jovem levou uma pancada na canela. Os estrangeiros não foram à delagacia.
O casal que estava no helicóptero deixou a 10ª DP (Botafogo) às 17h, após prestar depoimento. "Não, a gente não se machucou", limitou-se a dizer uma das vítimas.

'Foi horrível'
“O helicóptero caiu. Eu vi. Foi horrível. Veio uma rajada de vento e ele [piloto] perdeu o controle", contou Antonio, que só não voou ao lado do filho por falta de espaço na aeronave e reclamou da demora de uma hora para a chegada dos bombeiros. "Peguei um extintor de incêndio e pulei. Saiu fumaça, mas não tinha foco de incêndio. Alguém arrancou a porta da aeronave e eles conseguiram sair."

Segundo ele, o helicóptero chegou a voar por sete minutos pela orla da cidade e o passeio custou R$ 210. O pai de Álvaro contou ainda que, durante a decolagem, uma das passageiras chegou a pedir para voltar devido ao balanço causado por ventos, mas desistiu após a estabilização.

Professora Erizete disse que viu o helicóptero cair (Foto: Isabela Marinho/G1)Professora Erizete disse que viu o helicóptero cair
(Foto: Isabela Marinho/G1)

Estudantes viram queda
A professora Erizete Stanick estava com um um passeio com grupo de alunos da Escola Municipal Ministro Alcides Carneiro, que visitavam Pão de Açúcar pela primeira vez, quando viu a queda. “Estávamos em uma excursão dentro do bondinho quando ouvimos o barulho. A reação foi de espanto. Não vimos as vítimas, mas ficamos com medo porque poderia ter sido com a gente, foi muito próximo. Vimos a hélice pegando as folhas", contou.

O Morro da Urca, onde houve a queda, tem 220 metros e é o menor de dois morros que formam o complexo do Pão de Açúcar, um dos principais pontos turísticos do Rio, mais coonhecido pelo nome da mais alta das montanhas, com quase 400 metros de altura.
A Helisul Táxi Aéreo Ltda, que realiza os voos panorâmicos, comunica que o helicóptero modelo HB350B, na aproximação final para o pouso foi atingido por uma imprevista rajada de vento seguida de corrente de ar descendente, ocasionando assim um pouso fora do heliponto no Morro da Urca.

Segunda queda em uma semana
Esta foi a segunda queda de um helicóptero em menos de uma semana no Rio. Na sexta-feira (8), uma aeronave da Polícia Civil caiu dentro de um centro de treinamento policial no Caju, na Zona Portuária, deixando cinco feridos, um deles em estado grave.

Fonte: http://g1.globo.com

Helicóptero sofre acidente na Zona Leste de SP

Duas equipes do Corpo de Bombeiros foram até Parque Ecológico do Tietê.
Até as 14h40 desta quinta-feira (9), não havia relatos de feridos.

Helicóptero pousado em gramado do Parque Ecológico do Tietê (Foto: Reprodução/TV Globo)

Duas equipes do Corpo de Bombeiros seguiram na tarde desta quinta-feira (9) para o Parque Ecológico do Tietê, na Zona Leste de São Paulo, por causa de um acidente com um helicóptero. Ninguém se feriu no acidente, segundo a escola de aviação civil JR Helicópteros, responsável pela aeronave.

Os bombeiros receberam a informação de que houve um pouso forçado da aeronave na altura do km 15 da Rodovia Ayrton Senna.  O acidente teria ocorrido durante um voo de instrução. Durante a aproximação do solo, a cauda do helicóptero tocou no chão, provocando o tombamento da aeronave. Várias peças ficaram espalhadas no gramado.

A Escola de Aviação Civil JR Helicópteros informou que a aeronave  precisou fazer um pouso controlado por volta das 13h30 no Parque Ecológico do Tietê. Às 15h15, a empresa não tinha informações sobre o problema que motivou o pouso. A JR Helicópteros também informou que o helicóptero estava com a situação regularizada.

Helicóptero tombado em gramado do parque (Foto: Reprodução/TV Globo)

Fonte: http://g1.glob.com

terça-feira, 7 de maio de 2013

Homem é preso após pousar helicóptero em praça

Homem é preso após pousar helicóptero em praça de Curvelo durante evento de moto - Estado de Minas

A aeronave foi apreendia pela Polícia Civil e o piloto levado para o presídio da cidade (Polícia Civil/Divulgação)

A aeronave foi apreendia pela Polícia Civil e o piloto levado para o presídio da cidade

Um homem foi preso depois de pousar um helicóptero, que estava impedido de voar e tinha sido apreendido pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), em fevereiro deste ano, na Praça Central do Brasil, em Curvelo, Região Central de Minas Gerais. No local acontecia um evento de motociclistas. Felipe Ramos Morais estava com a habilitação para pilotar vencida desde 2009.

Morais já estava sendo procurado pela Anac depois que retirou irregularmente a aeronave, prefixo PR-HDA, de um pátio em Santa Fé do Sul, em São Paulo. “Ele teria pedido a funcionários para pegar alguns objetos dentro do helicóptero e, quando entrou, ligou a aeronave e fugiu. Algumas pessoas tentaram correr para impedir, mas não conseguiram”, explica o delegado regional de Paracatu, André Pelli. A aeronave estava retida pela Anac desde 24 de fevereiro por estar com a inspeção anual de manutenção vencida e Certificado de Aeronavagabilidade cancelado.

Após a fuga, a Anac enviou um documento para o delegado informando que o suspeito poderia ir para a cidade participar da Motoshow que aconteceu no último sábado. “Ficamos monitorando o aeroporto e, quando assustamos, ele pousou em um espaço na praça”, conta André Pelli. Policiais militares, que já haviam sido informados sobre as investigações, conseguiram fazer a prisão. “O homem estava oferecendo voos panorâmicos para os participantes”, explica o delegado.

Na delegacia, Morais informou que saiu de Sete Lagoas e foi até Paracatu. Também confessou que sabia da documentação atrasada e que estava providenciando a renovação. O piloto foi encaminhado para o presídio da cidade. “Ele entrou com um pedido de fiança e a juíza arbitrou em R$ 50 mil. Porém, até hoje, não pagou”, diz Pelli.

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Helicóptero da Polícia Civil cai no Rio

Polícia informou que aeronava passa por treinamento e descarta ataque.
Segundo Secretaria de Segurança, cinco policiais ficaram feridos.

Helicóptero da Polícia Civil cai na Zona Portuária do Rio (Foto: Globonews/Reprodução)

O helicóptero da Polícia Civil prefixo PPEIH 01 caiu por volta das 15h40 desta quinta-feira (2) no Caju, na Zona Portuária do Rio, durante treinamento de rotina. Segundo a Secretaria de Segurança, cinco policiais civis da Coordenaria de Recursos Especiais (Core) ficaram feridos, um deles em estado grave.

Até as 16h50, não havia informações sobre a causa da queda, mas a Polícia Civil descarta a hipótese de a aeronave ter sido derrubada por traficantes.

Mapa queda helicóptero da Polícia Civil do Rio (Foto: Arte/G1)

De acordo com o delegado da 17ª DP (São Cristóvão) Maurício Luciano, havia dois pilotos e três tripulantes na aeronave. O ferido com mais gravidade, com traumatismo craniano, foi levado de helicóptero para o Hospital Miguel Couto, na Zona Sul, junto com mais um ferido. Os outros três foram removidos na ambulância dos bombeiros para o Hospital Souza Aguiar, no Centro, estão lúcidos e com ferimentos leves.

Segundo informações da Polícia Civil, o helicóptero havia passado por manutenção recentemente. O Grupamente Aéreo da Polícia Civil e o Corpo de Bombeiros do quartel do Caju foram para o local e, por volta das 16h30, um helicóptero do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da PM sobrevoava a região.

A Aeronáutica enviou homens do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos 3 do Rio de Janeiro (Seripa) para o local para investigar a queda.

A aeronave ficou com a parte da frente parcialmente destruída e com a hélice para cima, como se o piloto tivesse feito um pouso forçado. A queda foi próxima ao estande de tiros do Centro de Treinamento da Polícia Civil.

Testemunha relata a queda
O motorista de caminhão da Comlurb Wagner Vieira, de 35 anos, disse que estava manobrando na hora do acidente. "Achei que fosse fazer uma manobra. De repente, a hélice ficou para baixo e a barriga para cima", contou.

Ao ouvir o estrondo, Wagner disse que correu e quando chegou perto da aeronave viu o piloto preso ao cinto de segurança, bem machudo. "Os demais não pareciam estar tão machucados", disse.

Fonte: http://g1.globo.com /rio-de-janeiro

Radar ADS-B ModeSMixer2

METEOROLOGIA